quarta-feira, 19 de setembro de 2012

O mal se tornou global

Há pouco menos de uma semana entrava no circuito nacional a quinta parte do blockbuster Resident Evil iniciada exatos dez anos subintitulado "O Hóspede Maldito" arrecadando mundo afora US$ 102 milhões trazendo a bela atriz Milla Jovovich no papel da protagonista Alice e como de se esperar arrebentando tudo que represente perigo garantindo assim um bom entretenimento aos fãs da história apocalíptica.

UM FILME PARA QUEM GOSTA

A série cinematográfica baseada no universo do survival horror criado pela Capcom para um de seus mais bem sucedidos jogos que também dá nome aos filmes divide opiniões até entre o público adepto ao estilo por não condizer boa parte da trama live-action com a dos jogos.

Como é de se esperar a nova produção não agrada a muitos dos cinéfilos já que boa parte destes falam que a história não possui conteúdo e se baseia apenas nas cenas de ação abarrotadas durante toda projeção buscando algo neste tipo de filme que não condiz com a proposta.

A inédita empreitada da heroína tem início em meio acontecimentos do final do quarto episódio, dos quais não cabe aqui falar, sendo responsável por uma excelente abertura muito bem auxiliada pelo 3D em meio tiros e explosões enquanto Alice luta contra um pequeno exército exibindo todas agilidade que a transformou em figura tarimbada do cinema de ação.



UM ROTEIRO QUE TAMBÉM AGRADA

É fato que não se pode esperar uma imensa "criatividade", dependendo do ponto de vista que seja considerado criativo, de uma franquia nos moldes do aqui em questão tirando a pancadaria. Mas, desde o último capítulo lançado em 2010 quando se imaginava não ter forças para uma nova sequência trazendo um possível recomeço, na verdade demonstrando ser o início do fim, essa continuação reforça justamente esse fator, logo haverá uma conclusão para toda trama.

Nesta passagem vemos a protagonista tentando fugir de um laboratório no qual foi confinada deparando com uma realidade até então desconhecida: ela não foi a única a ser experimento da organização responsável pela destruição mundial. Devido a isso personagens de filmes passados retornam ao contexto ora como pessoas normais vivendo suas vidas ora como soldados impiedosos onde se anteriormente eram aliados aqui deixam de ser.



CENAS DE AÇÃO DE TIRAR O FÔLEGO

Se não pode aguardar um roteiro complexo com aprofundamento nas personagens ao menos sabe que as cenas de ação possuem seu valor e como tal recheada por lutas, perseguições e combate armado contra os integrantes da Umbrella além dos zumbis e criaturas malignas.

Sem revelar o conteúdo existem passagens por locações russas, japonesas e americanas, todas guardando desafios extremos a exemplo do esquadrão zumbificado do exército vermelho equipados com motosserras e metralhadoras, dos perigos de um labirinto comandado pela vilã digital Rainha Vermelha, originada logo no primeiro filme.

Michelle Rodriguez é um dos bons destaques por aquilo que melhor sabe fazer, ser casca grossa. Durante boa parte do tempo aparece empunhando armas de fogo, bem ao seu estilo, participando do duelo contra a resistência anti-Umbrella que tem como missão resgatar Alice dos maus feitores e dar início a libertação global.


Em sua passagem pela Comic-Con 2012 a atriz ucraniana de 36 anos Milla Jovovich afirmou que sempre é desafiador interpretar Alice porque em cada produção lançada é necessário recriar a personagem e apesar de ser um papel forte também existe o lado sentimental e nesse ela estará envolvida com a maternidade da heroína em meio ao caos.

Segundo o diretor Paul W.S Anderson, marido de Milla, ainda roteirista e produtor do novo longa, o ciclo de Alice está perto de ser concluído o que deve acontecer com a sexta parte, sem previsão de estréia, fazendo deste a ponte para encerramento da mais bem sucedida adaptação para cinema de um jogo de videogame acumulando cerca de US$ 700 milhões só com bilheteria excluindo venda de dvds e blu-rays, camisetas e outros produtos relacionados aos filmes.

Para Anderson, responsável por comandar a primeira e as duas últimas sequências da produção, um dos motivos do sucesso da série deve-se as mulheres porque são elas a base de sustentação enquanto os homens são coadjuvantes. Além de Milla Jovovich presente em todos os filmes conta com participação de Michelle Rodriguez (O Hóspede Maldito, Retribuição), Sienna Guillory (Apocalipse, Retribuição) e Ali Later (A Extinção, Recomeço).

DE RESTO É SÓ APROVEITAR

Simpatizando ou não com Resident Evil é certo afirmar como cine pipoca é incontestável sua qualidade enquanto passatempo por ter elementos que se não o torna numa produção digna de premiações pelo roteiro ou atuações faz deste para aqueles que vão ao cinema querendo ver tiros, lutas e mulheres exuberantes em roupas cada vez mais apertadas sem se preocupar com muita coisa a mais é diversão garantida.

Aos adeptos do existencialismo onde em tudo procuram colocar fatores de Stanley Kubrick, Quentin Tarantino, Martin Scorsese, Woody Allen e outros maravilhosos diretores em tudo o que vê não é recomendado talvez prefiram assistir a excelente comédia dramática de origem francesa Intocáveis que também está em exibição.

Já os que por diversos motivos não gostam do universo construído ao longo dos dez anos da cinessérie é melhor passar longe, mas aos fãs é certeza de ver um ótimo filme.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O pensamento é o ensaio da ação." (Sigmund Freud)
Pode também entrar em contato através do e-mail allanlemos@hotmail.com