sexta-feira, 20 de junho de 2014

Trilha Sonora: Sucker Punch (2011)

Não faz muito tempo que Zack Snyder era um diretor desconhecido por parte do grande público, veio a ganhar seus primeiros destaques com o excelente remake Madrugada dos Mortos (2004), desde então seguiu numa crescente de projetos conseguindo levar para as telonas sua visão de obras consideradas infilmáveis dentre elas os clássicos das hq's 300 (2006) e Watchmen (2009) além da adaptação do livro infantil A Lenda dos Guardiões (2010) até que veio a ideia de criar um trabalho inteiramente seu e assim foi concebido Sucker Punch - Mundo Surreal.

Considerado pela crítica especializada como uma das menos significativas produções do cineasta americano (discordo, achei um belo trabalho), o filme procurou mesclar diversos elementos indo desde drama, fantasia, ação, ficção científica na busca de melhor explicar a experiência de uma garota, conhecida apenas por Babydoll, num sanatório e na tentativa de não deparar com esse ambiente imagina vivendo em outras realidades no qual divide-se entre um bordel frequentado por pessoas influentes e também num cenário onde é uma agente secreta.

Um dos conjuntos que mais atenção está presente na trilha sonora. Produzida pelo compositor Tyler Bates, responsável também pelas trilhas de Noite do Terror (2006), Halloween (2007), Juízo Final (2008) e do jogo God of War: Ancension (2013), na busca recriar uma nova leitura para as músicas partiu por um caminho ousado: mudou parte dos arranjos de canções já consagradas a exemplo "Search and Destroy", da banda The Stooges, aqui interpretada pelo conjunto britânico Skunk Anansie, "White Rabbit", originalmente pela Jefferson Airplane que ganhou repaginagem de Emiliana Torrini, um dueto do Queen com o rapper Armaggedon Aka Geddy em "I Want It All/We Will Rock You" e de um dos principais hits do Beatles, "Tomorrow Never Knows", pela versão de Carla Azar e Alison Mosshart.

Outro ponto nas interpretações musicais é que parte do elenco do filme também assumem a função de cantores, Emily Browning, Carla Gugino e Oscar Isaac desbravam no intuito de dar maior aproximação do personagem com o enredo, dessa forma gerando envolvimento intimo em determinadas cenas, enriquecendo na ambientação e mostrando a boa sonoridade de cada um deles. Notamos nesses momentos a profundidade das situações, se é algo irreverente ou dramático e desse forma contribuindo para o desenrolar da estória.



Tentando harmonizar o aspecto visual e musical a trilha sonora vai seguindo uma linha alternativa, não somente pelas melodias em si, contudo, para casar com a ambientação criada no filme, dando a ele uma roupagem que mistura algo antigo com características recentes somados com elementos experimentais igualmente apresentado no enredo onde fica visível transcorrer numa época passada que aos poucos vai agregando figurações futurísticas e fantasiosas.

A participação de cantores como Björk e Yoav, além dos outros já citados, revela tal necessidade de fazer um grande laboratório musical e de quebrar concepções estabelecidas numa mistura que transita entre o indie, eletrônico, punk, industrial, psicodélico. Essas variações agregam valor ao trabalho apresentado, enriquecendo o conjunto da obra numa construção moderna, envolvente e bem executada condizente as escolhas do repertório.

Talvez o pecado maior das músicas presentes na produção, se é que pode chamar de deslize, fica por conta de relançar canções já difundidas em outras produções a exemplo de "Sweet Dreams", composta pelo duo britânico Euriythmics em 1983, mas que ganhou destaque com a versão gótica de Marilyn Manson, virando uma das canções mais tocadas em trilhas sonoras, principalmente terror como em A Casa da Colina (1999) e Contos dos Dias das Bruxas (2007) enquanto em Sucker Punck é  Emily Browning a encarregada de interpretar a canção além de dar voz para "Were Is My Mind?", banda Pixies, presente na trilha de Clube da Luta (1999) e "Asleep" da extinta The Smiths.

Ao todo são 9 faixas no corpo do álbum Sucker Punch: Original Motion Picture lançado pela produtora Walter Tower Music, vinculado ao grupo Time Warner, sendo apontada como uma das melhores trilhas daquele ano, vendendo 16 mil cópias somente na sua semana de estreia nos EUA, conquistando bons resultados também em parte da Europa e na Oceania garantindo assim reconhecimentos dos grandes meios de divulgação musical como Rolling Stone e a Empire. É de fato reconhecida tamanha qualidade da coletânea tornando uma experiência agradável para quem der oportunidade de ouvir.


(Álbum completo via Youtube



TRILHA SONORA
Lançamento: 22 de Março de 2011.
Gênero: Rock Alternativo.
Artistas: Emily Browning, Carla Gugino, Oscar Isaac, Björk, Yoav, Emiliana Torrini, Skunk Anansie, Carla Azar & Alison Mosshart e Armaggedon Aka Geddy.
Editorial: Trilha sonora original para filme de mesmo nome, uma fantasia de ação presente na imaginação fértil de uma jovem garota cujo mundo de sonho fornece a fuga de sua realidade mais escura. Com músicas de Björk, Skunk Anansie, Emily Browning dentre outros.
Duração: 49 minutos.
Download: 4Shared (clique aqui).


Nenhum comentário:

Postar um comentário

"O pensamento é o ensaio da ação." (Sigmund Freud)
Pode também entrar em contato através do e-mail allanlemos@hotmail.com